Pe. Herbert: “Será que Cristo consegue crescer em mim?”

1diadanovena55
Pe. Genivaldo: É preciso que a família caminhe junto.
julho 11, 2020
papadestacada
Francisco: “Podemos tornar-nos terreno fértil para a Palavra de Deus”
julho 12, 2020
2diadanovena55

Neste sábado, 11 de julho de 2020, celebramos o 2º dia da Novena em honra à Sagrada Família e também em preparação para bem celebrar os 55 anos da nossa Paróquia.

Iniciamos com o 2º dia da Novena com representantes da Pastoral do Dízimo e do Ministério de Leitores. Em seguida, deu-se início a Santa Missa presidida pelo Padre Herbert, msf e concelebrada por nosso pároco Padre Laurindo Aguiar, msf e pelo Padre Genivaldo Mendes, msf. Na homilia de Padre Herbert, destacamos:

Hoje nos chamou a atenção a frase: “Será que Cristo consegue crescer em mim?”

 O profeta Isaías, na 1ª leitura, nos afirma que, “a palavra que sair da minha boca não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la.” Mas nem sempre é assim, temos que ter cuidado com a autoestima, disse o Padre.

Assim também a palavra lançada como semente é bastante complicado, como nos retratou o Evangelho. Tem as sementes que caem na estrada e os pássaros comem. Esses pássaros podem ser como aqueles que pegam a palavra falada dos outros e delas extraem apenas o que lhe convém, muitas vezes até distorcem. Não é possível nascer bons frutos desse tipo de semente.

Existem as sementes que caem entre os espinhos e que precisam concorrer com outras sementes, mas não tem segurança para sobressair. Falta muitas vezes robustez, outras vezes falta mansidão. As palavras espinhos se impõem e sufocam a boa palavra, e aos poucos afogam as palavras suaves que foram lançadas no mundo que, possui muitos espinhos que, ameaçam a colheita.

Mas nem tudo depende da qualidade da semente, muitos outros fatores influenciam no crescimento da palavra de Deus nos nossos corações, como a fertilidade do solo, o clima e outros fatores. A produção de bons frutos dependerá da colaboração de todos, disse o Padre.

O Padre reflete que muitas vezes a correria, o stress do dia a dia não nos deixa absorver a palavra. Muitas vezes somos duros, rígidos como o terreno pedregoso e a palavra não consegue penetrar para produzir. Ainda existem os pássaros que, em nós é a raiva, a inveja, o orgulho, as malícias que, impedem o crescimento espiritual.

A nossa felicidade é saber que também somos terreno bom, refletiu ainda. Muitos pensamentos ruins convertem-se em pensamentos positivos. Percebemos que no nosso coração ainda existe vida, ele tem força. E mesmo diante de coisas ruins, pela graça de Deus que, atua em nós pela graça do Espírito Santo, transforma em boas ações.

Entretanto isso não é fácil, mas nem por isso devemos desanimar. Muitas vezes escutamos a palavra de Deus e não a entendemos, então essa semente não caiu em terra fértil, disse o Padre. Outras vezes entendemos e não consentimos, ou até consentimos, mas efetivamente não colocamos em prática.

Não é tão fácil ouvir a palavra de Deus e produzir bons frutos. Trinta por cento até conseguimos, cem por centro é quase impossível, mas podemos conseguir.

Padre Herbert concluiu a homilia dizendo: “vamos continuar assumindo a palavra de Deus e não vamos deixar intimidar pelas dificuldades que vamos enfrentar, porque quem vence será a palavra de Deus que entra no nosso coração”.

 Ao fim da Santa Missa, rezou-se a Oração em homenagem à Sagrada Família.

Clique aqui para conferir a cobertura fotográfica completa.

 

Texto: Juciane / PasCom Sagrada Família

Fotos: Ana Carolina / PasCom Sagrada Família